Elaboração de projeto de captação de águas pluviais no IFPE – Campus Recife (Estudo de caso para o bloco F)

Dayanne Silva, Vânia Carvalho, Ioná Barbosa

Resumo


Sustentabilidade e racionamento no que diz respeito aos recursos hídricos são uma necessidade atual no planeta. Formas eficazes de aproveitamento da água de chuva são alternativas cada vez mais discutidas em vários países. Essas águas captadas podem ser aproveitadas para usos menos exigentes, como descarga de bacias sanitárias, irrigação de jardins e lavagem de pisos e ambientes, acarretando uma redução do consumo e dos custos com água potável. O presente trabalho objetivou a elaboração de um projeto de captação de águas pluviais para um dos blocos (bloco F) do IFPE – Campus Recife. A metodologia envolveu o levantamento dos dados pluviométricos do local. O volume de água da chuva foi calculado através do levantamento das áreas de captação do bloco F, considerando as áreas de cobertura da edificação no plano inclinado. As informações documentais foram obtidas junto ao setor administrativo do Instituto. As grandezas geométricas dos condutores horizontais foram determinadas através do programa Canais3.exe; já as grandezas geométricas dos condutores verticais foram determinadas de acordo com a NBR 10844 /1989. O projeto foi realizado no programa AutoCAD. O trabalho confirmou a viabilidade técnica e econômica do projeto.


Palavras-chave


CAPTAÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS; ECONOMIA; REAPROVEITAMENTO

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5626: Instalação predial de água fria. Rio de Janeiro: ABNT, 1998.

______. NBR 10844: Instalações Prediais de águas Pluviais. Rio de Janeiro: ABNT, 1989.

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS. Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil. . 13 Ago. 2014.

______. Relatório de Conjuntura dos Recursos Hídricos traz balanço da situação e da gestão das águas no Brasil. . 13 Ago. 2014.

APAC – Agência Pernambucana de Águas e Clima. Monitoramento Pluviométrico. . 5 Jan. 2015.

AUTODESK. AutoCAD 2007. Março, 2006.

BRASIL. Decreto n. 24.643, de 10 de julho de 1934. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Rio de Janeiro, RJ, 20 jul. 1934. Seção 1, p. 14738.

CHOVE CHUVA. Solução Econômica Natural. . 26 Maio 2015.

CPRM – Serviço Geológico do Brasil. Sistema de Informações Geoambientais da Região Metropolitana do Recife. . 21 Ago. 2014.

FASOLA, Gabriel Balparda et al. Potencial de economia de água em duas escolas em Florianópolis, SC. Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 11, n. 4, 2011. . 22 Ago. 2014.

FERREIRA, F. S.. Licitação Sustentável: A administração pública como consumidora consciente e diretiva. 2010. 136 f. Monografia (Bacharelado em Direito) – Coordenação de Direito, Centro Universitário do Distrito Federal – UDF, Brasília. 2010.

FENDRICH, R.. Coleta, armazenamento, utilização e infiltração das águas pluviais na drenagem urbana. 2002. 499 f. Tese (Doutorado em Geologia) – Curso de Pós-graduação em Geologia Ambiental, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2002.

FENDRICH, R.; OLIYNIK, R.. Manual de utilização das águas pluviais: 100 maneiras práticas. Curitiba, PR: Chain, 2002.

GHISI, E. Potential for potable water savings by using rainwater in the residential sector of Brazil. Building and Environment, v. 41, n. 11, p. 1544-1550, 2006.

GHISI, E.; CORDOVA, M. M.. Netuno 4: Programa computacional. Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Engenharia Civil. . 17 Jun 2015.

GPRH – Grupo de Pesquisa em Recursos Hídricos. Plúvio 2.1: Chuvas intensas para o Brasil. Departamento de Engenharia Agrícola, Universidade Federal de Viçosa, 2006. . 7 Out. 2014.

MARINOSKI, A. K.; GHISI, E.. Aproveitamento de água pluvial para usos não potáveis em instituição de ensino: estudo de caso em Florianópolis – SC. Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 8, n. 2, p. 67-84, abr-jun. 2008.

OURIQUES, Rafael Zini; BARROSO, Lidiane Bittencourt. Águas Pluviais: uma alternativa para o futuro das cidades. Disc. Scientia. Série: Ciências Naturais e Tecnológicas, S. Maria, v. 10, n. 1, p. 77-91, 2009.

PORTO, R. M.. Canais3.exe: escoamento uniforme em canais. Versão 3.0. Departamento de Hidráulica e Saneamento, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, 2003. . 5 Nov. 2014.

SAFERAIN. Saferain First Flush Diversion Valve. . 12 Fev. 2015.

SCHERER, F. A.. Uso racional da água em escolas públicas: diretrizes para secretarias de educação. 2003. 257 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia) – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

TOMAZ, P.. Previsão de Consumo de Água – Interface das Instalações Prediais de Água e Esgoto com os serviços Públicos. São Paulo: Navegar Editora, 2001.

______. Aproveitamento de Água de Chuva – Para Áreas Urbanas e Fins não Potáveis. São Paulo: Navegar Editora, 2003.

TRINDADE, Gabriella Gonçalves; BARROSO, Lidiane Bittencourt. Sistema de captação de água de chuva para fins não-potáveis na empresa Pilecc & CIA LTDA. Disc. Scientia. Série: Ciências Naturais e Tecnológicas, S. Maria, v. 6, n. 1, p. 11-21, 2005.

UNIÁGUA – Universidade da Água. Água no Planeta. . 16 ago. 2014.

VASCONCELOS, Allan Henrique Alves de et al. Avaliação do uso da água no IFPE através do diagnóstico das instalações hidrossanitárias e hábitos de consumo. Revista CIENTEC. Tema: Meio Ambiente, Recife, Pernambuco, v. 7, n. 1, p. 56-64, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


-------------------------------------------------------------------------------

Revista de Ciência, Tecnologia e Humanidades do IFPE (CIENTEC)
revistas.ifpe.edu.br
e-ISSN 1984-9710
ISSN 1984-7300

 

Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco
Av. Prof Luiz Freire, 500 Cidade Universitária - Recife/PE - CEP: 50740-540
http://reitoria.ifpe.edu.br/

 

Fone: +55 81 21251691
cientec@reitoria.ifpe.edu.br