Percepção em relação à sustentabilidade ambiental em mercados públicos

Angélica Alves Rodrigues, Sofia Suely Ferreira Brandão Rodrigues, Maria Núbia Medeiros de Araújo Frutuoso, Maria Tereza Duarte Dutra

Resumo


O presente estudo se propôs a identificar a percepção ambiental de permissionários e consumidores de mercados públicos. Neste sentido, escolheram-se os Mercados de Casa Amarela e do Cordeiro, em Recife, Pernambuco, como estudos de casos. No desenvolvimento da pesquisa foram realizadas visitas em campo, fazendo-se observações sobre as condições do ambiente, registro fotográfico e aplicação de questionários. Os resultados obtidos apontaram que o maior problema ambiental existente nos mercados se refere à necessidade de implementação da coleta e destinação adequada de resíduos sólidos. Já, quando os entrevistados foram indagados quanto às ações que teriam disposição para atuarem de maneira concreta, em favor da conservação ambiental, os mesmos elencaram a coleta seletiva e a eliminação do desperdício de água como as ações mais propícias a se engajarem. Como fator positivo, destacou-se a predisposição dos permissionários e consumidores dos mercados em participarem de ações sustentáveis, além de afirmarem estarem bem informados em relação à temática ambiental. Assim, a pesquisa apontou que se faz necessária a promoção de ações visando a sensibilização comunidade local para a adoção de práticas sustentáveis no cotidiano do seu ambiente de trabalho.


Palavras-chave


Gestão ambiental, sustentabilidade, mercado público

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, L.A.; FILHO, V.R. Os mercados públicos e a cidade: as transformações do mercado municipal de Uberlândia(MG). Caminhos de Geografia. v. 12, n. 39, p. 209 – 225. Uberlândia, 2011. . 13 Dez. 2014.

COSTA, R. G. S.; COLSESANTI, M. M. A contribuição da percepção ambiental nos estudos das áreas verdes. RA´E GA. Curitiba, v. 22, p. 238-251, 2011. http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/raega/article/view/21774/14173. 12 Jan. 2014.

CREA –MG, AGENDA 21. Belo Horizonte. 2004 24p. Disponível em: . 02 Nov. 2014.

DEL RIO, V.; OLIVEIRA, L. de (Org). Cidade da mente, Cidade real percepção e revitalização da área portuária do Rio de Janeiro. In:______. Percepção ambiental: A experiência brasileira. São Paulo: Studio Nobel. Cap. 1 p. 3 – 21. 1996.

DIAS, G. F. Educação Ambiental – Princípios e Práticas. 8 ed. São Paulo: Gaia, 2003. 551 p.

HERMANNS, K.; MACEDO, M. Agenda 21 Local – Experiências da Alemanha, do Nordeste e Norte do Brasil. Fortaleza: Fundação Konrad Adenauer, 2003. 92p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRÁFICA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Demográfico 2010. . 13 Out. 2014.

MACÊDO, J. C. Processo Participativo da população na Construção da Agenda 21: O caso de Parnamirim – RN [Dissertação de Mestrado] Rio Grande do Norte: Universidade Federal de Rio Grande do Norte. < ftp://ftp.ufrn.br/pub/biblioteca/ext/bdtd/JulioCM.pdf>. 13 Dez. 2014.

MARCZWSKI, M. Avaliação da percepção ambiental em uma população de estudante do Ensino Fundamental de uma escola municipal rural: um estudo de caso. Dissertação (Mestrado em Ecologia), Instituto de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2006. 188p. . 05 Jan. 2014

MEDAUAR, Odete. Coletânea de Legislação Ambiental, Constituição Federal. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, Ed.11. 2012.

MELAZO, G.C. Percepção ambiental e educação ambiental: Uma reflexão sobre as relações interpessoais E ambientais no espaço urbano. Olhares & Trilhas. v. 6, Ano 6, p. 45v-51, 2005. . 10 Nov. 2014.

MELO, A. M.; SILVA, F. L. H.; GOMES, J. P.; ALVES, N. M. C. Aproveitamento de Resíduos de Restaurante na Obtenção de Adubo Orgânico para Produção de Alface e Mudas de Maracujazeiro e Mamoeiro. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, v. 13, n. Especial, p. 325 - 335, 2011. < http://www.deag.ufcg.edu.br/rbpa/rev13e/Art13E1.pdf>. 15 Fev.2014.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Consumo Sustentável: Manual de educação. Brasília: Consumers International/ MMA/ MEC/IDEC, 2005. 160 p. . 12 Fev. 2014.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Passo a passo da agenda 21 local. Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável. - Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2005.54 p. . 12 Mai. 2014.

OLIVEIRA, J. V. J. Fluxograma do processo de planejamento arquitetônico aplicado a mercados públicos. [Dissertação de Mestrado] Universidade Federal da Paraíba, 2006. 129p. . 11 Nov. 2014.

PINTAUDI, S. M. Os mercados públicos: metamorfoses de um espaço na história urbana. Scripta Nova. Revista electrónica de geografía y ciencias sociales. Barcelona: Universidad de Barcelona, v. X, n. 218, 2006. . 10 Nov. 2014.

PEDROSA, I.V.; KAKUTA, A.E.; LEÃO, C.Z.C.; SILVA, E.M.da; Os municípios e o meio ambiente em Pernambuco- Relatório de pesquisa: 2006-2007. . 07 Maio 2015.

SECTMA. Agenda 21 de Pernambuco - Fórum estadual da Agenda 21 de Pernambuco. 2002. < www.cprh.pe.gov.br/downloads/capitulo02.pdf>. 07 Maio 2015

SECTMA. Secretária de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente. Pesquisa: O que os Pernambucanos Pensam sobre Meio Ambiente, Desenvolvimento e Qualidade de vida. Pernambuco. 2003. 60 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


-------------------------------------------------------------------------------

Revista de Ciência, Tecnologia e Humanidades do IFPE (CIENTEC)
revistas.ifpe.edu.br
e-ISSN 1984-9710
ISSN 1984-7300

 

Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco
Av. Prof Luiz Freire, 500 Cidade Universitária - Recife/PE - CEP: 50740-540
http://reitoria.ifpe.edu.br/

 

Fone: +55 81 21251691
cientec@reitoria.ifpe.edu.br